Mendoza – Argentina

Aproveitei a Semana Santa para viajar a um destino que há tempos tinha vontade de conhecer: Mendoza!

A simpática cidade argentina de Mendoza, com cerca de 100 mil habitantes, é reconhecida como a capital mundial do vinho Malbec. Esta uva, originária da França, chegou em Mendoza em 1856 e se adaptou muito bem ao local. Com clima seco e desértico, e solo bastante mineralizado por causa da proximidade com a cordilheira dos Andes, a região abriga nada menos que 983 vinícolas catalogadas! Em toda a região se produz muito vinho. É mais de 1 bilhão de litros por ano!

Na agradável companhia de 4 casais de amigos, fizemos um programa perfeito para as 3 noites que tínhamos na cidade. A conveniência do voo da Gol direto de São Paulo para Mendoza (3h20 de duração) com ida na Quarta e retorno no Sábado faz da viagem uma escapada rápida, econômica e muito peculiar. (Atenção: a Gol alterou a frequência deste voo para Quintas e Domingos)

Escolhemos o hotel Park Hyatt, que fica no coração da cidade, em frente à praça principal e com bastante comércio em volta.

park_hyatt1

park_hyatt

Na primeira noite, já havíamos reservado através da nossa agência o jantar no renomado e concorrido restaurante 1884, do chef Francis Mallmann. O ambiente era muito agradável, com mesas espalhadas no jardim, embaixo de árvores floridas e a luz de velas. Um show! A comida, simplesmente espetacular, com destaque especial para a sobremesa de “panqueque de dulce de leche”, que eu e minha amiga Audrey comemos quase que de joelhos!

francis_mallman

francis_mallman2

francis_mallman1

Panquecas de dulce de leche
Panquecas de dulce de leche

No dia seguinte, pela manhã, nosso serviço de motorista e guia em Português nos aguardava para um tour as vinícolas da região de Lujan de Cuyo. A primeira “bodega” foi a El Enemigo, de Alejandro Vigil, o mesmo enólogo da Catena Zapata. Fizemos a visita por todas as instalações e degustamos 3 vinhos.

el_enemigo

el_enemigo2

el_enemigo1

Depois fomos conhecer a Lopez, uma vinícola maior e com capacidade de produção de 40 milhões de litros por ano. As instalações são bem diferentes da primeira, parecendo mais uma fábrica de fertilizantes do que de vinhos! Os vinhos degustados eram mais simples (e não tão bons, em minha opinião). Mas foi uma ótima experiência conhecer tipos tão diferentes de bodegas.

lopez

lopez1

lopez2http://guia4maos.hospedagemdesites.ws/blog/wp-admin/post-new.php

Na última vinícola do dia, tínhamos almoço reservado e incluído no nosso tour. Fomos então para a Família Zuccardi, que também produz azeites. O almoço estava delicioso, e teve harmonização de vinhos que combinavam perfeitamente com as empanadas e carnes argentinas servidas. Uma delícia! Este é um serviço que vale a pena: ter o almoço reservado numa das vinícolas.

No outro dia, foi a vez de conhecer mais duas vinícolas de outra região: o Vale do Uco. Um pouco mais distante da cidade, o Vale do Uco fica a aproximadamente 80 km do centro de Mendoza. Às 10 da manhã já estávamos chegando na Clos de Los 7, um complexo de 5 bodegas que tem como um dos enólogos o renomado Michell Rolland. A nossa visita foi na Cuvelier de Los Andes, e seus vinhos tinham um toque mais europeu. Também adoramos!

vinhedo

vinhedo1

cuvelier_los_andes

clo_de_los_siete
Em seguida, a nossa reserva para almoço e degustação era na Salentein. Este foi o ponto alto da viagem! Com arquitetura moderna e arrojada, a bodega foi projetada por um casal de arquitetos mendoncinos que optaram por mesclar os ambientes com a natureza local. O resultado é lindíssimo! O almoço foi harmonizado com vinhos top de linha da Salentein. Em seguida, fizemos um tour por todas as etapas de produção dos vinhos e suas instalações de cair o queixo! Para finalizar com chave de ouro (e acabar comigo) a visita guiada incluía mais degustação. No final do dia contabilizamos 25 tipos de vinho degustados!

salentein

salentein1

salentein2

salentein3

salentein4

almoco
O jantar desta noite foi uma experiência íntima e pessoal. Alguns amigos nos indicaram um restaurante que na verdade é a casa do chef: o Los Chocos. Com capacidade para apenas 10 pessoas, este restaurante é uma experiência muito diferente. Não existe cardápio e o preço de USD 85,00 por pessoa já inclui todos os 5 pratos e os vinhos harmonizados. Valeu cada centavo. Os pratos eram elaborados apenas com ingredientes locais e que fazem parte do costume. Imperdível!

los_chocos3

los_chocos1

los_chocos

los_chocos5

los_chocos4

Quem visita o Los Chocos pode pintar o quadro e deixar uma mensagem
Quem visita o Los Chocos pode pintar o quadro e deixar uma mensagem

Foi uma viagem muito agradável e divertida, tanto pelo destino quanto pela companhia dos amigos queridos. Pra quem está planejando ir até lá, tenho algumas recomendações:

– escolha ou um hotel central, ou um hotel dentro de uma vinícola se quiser ficar mais restrito a uma região;

– não precisa ir a mais de duas vinícolas por dia. Além dos processos de produção serem similares, muitas degustações podem lhe deixar com sono;

– vale a pena ter os serviços de motorista e guia local. Além de serem baratos, eles reservam as visitas às vinícolas que você quiser conhecer, e sugerem algumas que valem a pena serem visitadas. Além disso, reservam e incluem almoços nas melhores vinícolas. Vale a pena! Não vá até uma vinícola sem reserva. Você pode perder tempo, pois as distâncias são longas e você deixa de aproveitar as melhores.

– não vale a pena alugar carro. Vinho + direção + estradas estreitas não combinam.

– se você aprecia boa gastronomia, não deixe de ir ao Francis Mallmann e no Los Chocos. Como são pequenos e famosos, é necessário reservar com antecedência. No nosso caso, nossa agência ja deixou tudo reservado, mas é possível reservar por telefone. Seguem os contatos:

1884 – Telefones: + 54 261 424-3336 ou 261 424-2698

Los Chocos – Telefones: + 54 (261) 155 345 229 ou (261) 155 109 345
E-mail: los.chocos@yahoo.com.ar

Vai a Mendoza e tem alguma dúvida sobre o destino? Deixe sua mensagem nos comentários! Até a próxima!

One Comment

  • Claudia M Honesko Responder

    Gostei muito da ideia de visitar Mendoza! Adoro vinicolas! Quem sabe em novembro!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *